Dia Internacional das Mulheres: para que serve?Quando é? É uma celebração ou um protesto? E quais eventos virtuais acontecerão este ano?

Há mais de um século, as pessoas em todo o mundo marcam o dia 8 de março como um dia especial para as mulheres.

O Dia Internacional da Mulher, também conhecido como IWD, surgiu do movimento trabalhista para se tornar um evento anual reconhecido pela Organização das Nações Unidas (ONU).

As sementes foram plantadas em 1908, quando 15.000 mulheres marcharam pela cidade de Nova York exigindo menos horas de trabalho, melhores salários e o direito de voto. Foi o Partido Socialista da América que declarou o primeiro Dia Nacional da Mulher, um ano depois.

A ideia de internacionalizar o dia partiu de uma mulher chamada Clara Zetkin. Ela sugeriu a ideia em 1910 em uma Conferência Internacional de Mulheres Trabalhadoras em Copenhague. Estavam presentes 100 mulheres, de 17 países, e elas concordaram com sua sugestão por unanimidade.

Foi celebrado pela primeira vez em 1911, na Áustria, Dinamarca, Alemanha e Suíça. O centenário foi comemorado em 2011, então este ano estamos tecnicamente comemorando o 110º Dia Internacional da Mulher.

As coisas foram oficializadas em 1975, quando as Nações Unidas começaram a comemorar o dia. O primeiro tema adotado pela ONU (em 1996) foi “Celebrando o passado, Planejando o Futuro”.

O Dia Internacional da Mulher se tornou uma data para comemorar o quão longe as mulheres chegaram na sociedade, na política e na economia, enquanto as raízes políticas do dia significam greves e protestos são organizados para aumentar a consciência sobre a desigualdade contínua.

E existe um Dia Internacional do Homem?

De fato, em 19 de novembro. Mas só foi marcado a partir dos anos 1990 e não é reconhecido pela ONU. As pessoas o celebram em mais de 80 países em todo o mundo, incluindo o Reino Unido. No Brasil, a data é 15 de julho e foi proposta pela Ordem Nacional dos Escritores em 1992.

O dia celebra “o valor positivo que os homens trazem para o mundo, suas famílias e comunidades”, destacando modelos positivos e aumentando a conscientização sobre o bem-estar do homem”. O tema para 2020 foi “Melhor saúde para homens e meninos”.

O Dia Internacional da Mulher é um feriado nacional em muitos países, incluindo a Rússia, onde a venda de flores dobra durante os três ou quatro dias em torno de 8 de março.

Na China, muitas mulheres têm meio dia de folga no trabalho em 8 de março, conforme aconselhado pelo Conselho de Estado, embora muitos empregadores nem sempre passem esse meio dia para suas empregadas.

Na Itália, o Dia Internacional da Mulher, ou la Festa della Donna, é comemorado com a entrega de flores de mimosa. A origem desta tradição não é clara, mas acredita-se que tenha começado em Roma após a Segunda Guerra Mundial.

Nos EUA, o mês de março é o mês da história da mulher. Uma proclamação presidencial emitida todos os anos homenageia as conquistas das mulheres americanas.

Este ano será um pouco diferente por causa do coronavírus e mais eventos virtuais são esperados em todo o mundo.

A ONU anunciou seu tema para 2021 como “Mulheres na liderança: Alcançando um futuro igual em um mundo Covid-19”.

A Diretora Executiva da ONU Mulheres, Phumzile Mlambo-Ngcuka, disse: “Precisamos de uma representação feminina que reflita todas as mulheres e meninas em toda a sua diversidade e habilidades, e em todas as situações culturais, sociais, econômicas e políticas. Esta é a única maneira de conseguirmos uma verdadeira sociedade mudança que incorpora as mulheres na tomada de decisões como iguais e beneficia a todos nós.

E porque precisamos disso?

A paridade de gênero não será alcançada por quase um século “, de acordo com a campanha do IWD, referindo-se ao Fórum Econômico Mundial, diz” nenhum de nós verá a paridade de gênero em nossas vidas, e nem provavelmente muitos de nossos filhos “.

Recentemente, também foi um período muito difícil, com dados da ONU Mulheres revelando que a pandemia do coronavírus poderia acabar com 25 anos de aumento da igualdade de gênero. As mulheres estão fazendo muito mais tarefas domésticas e cuidados com a família por causa da pandemia, o que, por sua vez, pode impactar as oportunidades de emprego e educação.

Inúmeros estudos comprovam que ainda hoje as mulheres sofrem com a desigualdade no mercado de trabalho em relação aos homens. A presença das mulheres no mercado de trabalho ainda é menor do que a dos homens, uma vez que dados de 2018 apontam que, no mundo, apenas 48% das mulheres maiores de 15 anos estão empregadas – para os homens, esse número é de 75%|1|.

Atualmente, menos de 70% dos homens concordam com o fato de que muitas mulheres preferem trabalhar a ficar em casa cuidando de serviços domésticos.

Para agravar essa situação, metade das mulheres que engravidam perdem seus empregos quando retornam da licença-maternidade|3| e ainda, em pleno século XXI, existem aqueles que defendem que mulheres devem ganhar menos, simplesmente por poderem engravidar.

O 8 de março é um dia para reflexão a respeito de toda a desigualdade e a violência que as mulheres sofrem no Brasil e no mundo. É um momento para combater o silenciamento que existe e que normaliza a desigualdade e as violências sofridas pelas mulheres, além de ser um momento para repensar atitudes e tentar construir uma sociedade sem desigualdade e preconceito de gênero.

Dra Raquel Vale. Graduada em Fisioterapia pela Univali – Universidade do Vale do Itajaí-SC (2004). Pós Graduação “Lato Sensu”- Especialização em Fisioterapia Dermatofuncional pela Faculdade CBES de Curitiba-PR (2009).Graduanda em Biomedicina – Uniavan Balneário Camboriú – SC (2019).

Alterações na pele que o uso da máscara podem causar!

Durante os tempos de pandemia, é de extrema importância que todas as pessoas usem máscaras para proteger o rosto e evitar a disseminação do COVID-19. 😷

Porém, apesar de muito importante, ficar com o rosto coberto, por um longo período de tempo pode causar foliculite, oleosidade, machucados e até acne. 😓

Isso acontece pois as máscaras deixam o lugar úmido e quente, ajudando bactérias a se proliferarem. 😤 Mas calma que tem solução! 🙌🏼

Lave seu rosto antes e depois de usar a máscara. Depois de lavar as mãos, você deve lavar o rosto com um sabonete próprio para a pele. Se você tem pele muito oleosa, vale usar um sabonete com ácido salicílico para remover o excesso de oleosidade e células mortas. 🧖🏼🧖🏻‍♂️

Não esqueça de hidratar. O próximo passo é usar um hidratante oil free na região, para que sua pele esteja tanto limpa, quanto hidratada, evitando a absorção desses óleos e da úmidade. 💕

Aposte em tecido de algodão. ☁️ Para reduzir esses efeitos, tente usar uma máscara de tecido leve e respirável, faça intervalos entre usá-las e, se possível, saia para fazer pausas e respire fundo sem a máscara. 🧘🏼‍♂️

Nunca toque na parte externa da máscara e nunca toque na parte interna da máscara para remover com os dedos, a menos que você tenha lavado bem as mãos imediatamente antes da remoção. 👏🏼

É melhor usar apenas os elásticos para colocar e remover a máscara. 😷

Estamos enfrentando isso juntos, mas por trás de nossas máscaras. Que todos nós logo nos libertemos desses encobrimentos e vejamos os belos sorrisos um do outro em breve. 🙌🏼🙏🏼❤️😀

Dra Raquel Vale- Graduada em Fisioterapia pela Univali – Universidade do Vale do Itajaí-SC (2004). Pós Graduação “Lato Sensu”- Especialização em Fisioterapia Dermatofuncional pela Faculdade CBES de Curitiba-PR  (2009). Graduanda em Biomedicina – Uniavan Balneário Camboriú – SC (2019).

china X coronavírus

Os mercados chineses de animais silvestres receberam grande visibilidade nos últimos dias.

O motivo? Ao que tudo indica, o surto de coronavírus teve como berço um mercado na cidade de Wuhan.

Entre 1958 e 1962, mais de 45 milhões de chineses morreram. Mas não houve guerra ou aniquilações. As mortes tiveram uma causa ainda mais cruel: a fome.

Por isso a liberação pelo governo de se alimentar de animais silvestres.

São diferentes animais, retirados de seu habitat selvagem e colocados em gaiolas ainda vivos.

Os bichos podem, conter feridas abertas devido à falta de cuidados. Vírus como HIV e Ebola chegaram aos humanos justamente pelos hospedeiros terem sido retirados da selva e colocados em ambientes urbanos.

Tudo isso nos leva ao coronavírus, muitos especialistas apontaram o consumo de alguns animais vendidos no mercado de Wuhan, como pangolins, serpentes e morcegos como o que causou o surgimento da doença.

Fonte: COVID-19 coronavirus epidemic has a natural origin- Science News

Trade in pangolin linked to Covid-19 outbreak- Herald Line

Dra Raquel Vale- Graduada em Fisioterapia pela Univali – Universidade do Vale do Itajaí-SC (2004). Pós Graduação “Lato Sensu”- Especialização em Fisioterapia Dermatofuncional pela Faculdade CBES de Curitiba-PR  (2009). Graduanda em Biomedicina – Uniavan Balneário Camboriú – SC (2019).