Blog

Os benefícios do Pilates para o Respirador Bucal! Você sabe o que é um respirador bucal? Conhece alguém assim?

A Síndrome do Respirador Bucal é quando ocorre a substituição da respiração nasal pela respiração bucal durante um período prolongado podendo estar relacionada com obstruções nasais, hábitos bucais inadequados ou fatores genéticos. Estudos destacam que esta síndrome pode causar: insônia, hiperatividade, dificuldade de aprendizagem, sonolência diurna, cansaço frequente, ronco, baixo apetite, crescimento físico diminuído, alterações posturais entre outros. As alterações posturais ocorridas merecem um destaque especial, pois devido ao corpo tentar se adaptar para facilitar a passagem do ar nas vias aéreas, causando diversas alterações posturais, não só alterando a posição da cabeça, pois o corpo trabalha em cadeias, assim, toda a mecânica corporal se altera. Assim a atividade física possui papel fundamental, para minimizar estas alterações. O Pilates tem sido bastante procurado, por prevenir, minimizar e corrigir desvios posturais através de exercícios que trabalham de maneira global e respeitam os limites e as necessidades de cada pessoa. É importante destacar que o tratamento para o respirador bucal deve ser sempre realizado por uma equipe multidisciplinar, onde o otorrinolaringologista e/ou alergologista; o odontologista; o fonoaudiólogo e o fisioterapeuta.

Joseph Pilates dava tanta importância a respiração que sempre dizia: “A RESPIRAÇÃO É O PRIMEIRO E O ÚLTIMO ATO DE NOSSAS VIDAS”. Procure um profissional! O respirador bucal pode e deve ter uma vida mais saudável e com mais qualidade.

Dra Morgana Vequi. Graduada em Fisioterapia pela UNIVALI – Universidade do Vale do Itajaí, (2011). Pós-graduada no Método Pilates pela PUC-PR – Pontifícia Universidade Católica do Paraná – Curitiba, (2015). Mestranda em Saúde Coletiva na FURB – Universidade Regional de Blumenau – SC

O medo é uma emoção básica importantíssima para a preservação da vida, uma vez que sua função é nos proteger do perigo, pois produz respostas que visam aumentar a probabilidade de sobrevivência numa situação avaliada como perigosa. Essas reações são luta, fuga, congelamento e desfalecimento. Por exemplo, vamos imaginar que nos deparamos com um animal perigoso. Se nosso cérebro interpretar que podemos enfrentar o animal, nosso corpo se organiza para enfrentar ou intimidar o animal. Porém, se o animal parecer muito grande ou perigoso para nossos recursos, a resposta que se organiza é de fuga. Se não houver possibilidade de fuga, uma resposta possível é a de paralisia, de congelamento, como uma estratégia de tentar passar despercebido. Caso o ataque seja avaliado como iminente pode surgir uma resposta de desfalecimento para tentar pacificar o inimigo ou de desmaio para nos proteger de sentir a dor do ataque.
Mas… e quando sentimos medo desproporcional e persistente por algo que não representa um perigo real?
A isso chamamos de FOBIA ESPECÍFICA, comumente tida por um ou mais objetos ou situações (p. ex. voar, animais, agulhas, elevadores, fantasias). A fobia específica, além de ser desproporcional em relação ao perigo real imposto e provocar uma resposta imediata de medo e ansiedade, também é ativamente evitada ou suportada com intenso sofrimento, e causa prejuízo no funcionamento social, profissional ou em outras áreas importantes da vida do indivíduo. Dentre os sintomas cognitivos, está a preocupação, expectativa apreensiva, dificuldade de raciocínio e pensamentos catastróficos, hipergeneralistas e dicotômicos. Os sintomas comportamentais se caracterizam por fuga e esquiva, além de agitação, hipervigilância e dificuldade para falar. Já os sintomas fisiológicos são tensão muscular, taquicardia, sudorese, sensação de sufocamento, tontura, fraqueza, e boca seca.
Se você se identificou com os sintomas, busque ajuda. Lembre-se, a grande maioria das coisas que nos causam medo são perigos autocriados em nossa própria imaginação.

APA. Associação Psiquiátrica Americana. Manual Diagnóstico e estatístico de transtornos mentais – DSM 5. Ed. 5. Washington, Associação Psiquiátrica Americana, 2014.
KNAPP, P. Terapia Cognitivo-Comportamental na Prática Psiquiátrica. São Paulo: Artmed, 2004.
DARWIN, C. The Expression of the Emotions in Man and Animals. Reino Unido: John Murray, 1872.

Por Jéssica Locatelli-  Possui graduação em Psicologia (CRP 12/16682) pela Universidade do Vale do Itajaí – UNIVALI.

Pós-graduanda em Psicoterapia Cognitivo-Comportamental pelo COGNITIVO – Centro de Psicoterapia Cognitivo-Comportamental, no Rio Grande do Sul.

Ansiedade

Muitas palavras diferentes estão relacionadas à ansiedade, como medo, pavor, pânico, preocupação, nervosismo e apreensão. Isso leva a uma considerável confusão e imprecisão do uso do termo “ansioso”. Que tal esclarecermos?

O medo é um estado neurofisiológico primitivo de alarme envolvendo a avaliação de perigo real ou potencial diante de determinada situação, iminente a segurança e integridade humana. Já a ansiedade é uma resposta cognitiva (p. ex. medo de ferimento ou morte), afetiva (p. ex. nervosismo), fisiológica (p. ex. palpitações) e comportamental (p ex. busca de reasseguramento) provocada pelo medo, ativada quando os eventos são concebidos como imprevisíveis, incontroláveis, e que podem ameaçar os interesses vitais do indivíduo. Tanto o medo como a ansiedade envolvem uma orientação ao futuro de modo que questões de “e se?” predominam.

Por exemplo, Bill passeava no parque e, de repente, avistou uma aranha venenosa ao lado de seu pé. Bill sentiu medo (ou seja, avaliou a situação como perigosa) e, então, correu (resposta comportamental), ao mesmo tempo em que seu coração palpitava (resposta fisiológica), se sentia nervoso (resposta afetiva), e imaginava a aranha picando seu pé (resposta cognitiva).

Mas, em que ponto o medo e a ansiedade se tornam disfuncionais e a intervenção clínica é justificada?

O primeiro ponto a ser considerado é que, muitas vezes, há avaliação errônea de perigo, ou seja, a avaliação cognitiva associada à situação leva ao medo e ansiedade acentuada que é inconsistente com a realidade. Outro ponto a ser considerado é quando o medo e ansiedade interferem no funcionamento do indivíduo, seja social ou ocupacional. Além disso, em condições clínicas, a ansiedade persiste por muito mais tempo do que seria esperado sob condições consideradas normais, o que causa sofrimento intenso.

Por Jessica Locatelli – CRP 12/16682

Beck, A. T., Emery, G. & Greenberg, R. L. Anxiety disorders and phobias: A cognitive perspective. New York: Basic Books, 1985.

 

 

OS BENEFÍCIOS DOS PROCEDIMENTOS ESTÉTICOS NO PROCESSO DE EMAGRECIMENTO ALIADO AOS EXERCÍCIOS FÍSICOS.

O cuidado com a beleza não pode ser associado somente com a vaidade. A saúde também é beneficiada por tratamentos estéticos. Realizados em clínicas de medicina e estéticas, tratamentos aliviam a tensão do dia a dia, fortalecem o sistema imunológico e elevam a auto estima da pessoa. Não é um luxo apenas.

A imagem corporal é a maneira pela qual o corpo se apresenta para si próprio. O hábito de fazer dietas e de consumir produtos dietéticos são umas das preocupações mais marcantes das mulheres, embora demonstre uma preocupação excessiva com a quantidade de gordura no corpo, elas evitam comidas que engordam e expressão o desejo de serem cada vez mais magra.

Apesar de existirem diferenças individuais significativas relacionadas aos mecanismos de consumo e gasto de energia, o equilíbrio energético vem sendo o determinante principal quanto a modificações associadas ao controle de peso corporal, o que torna as dietas e a prá- tica de atividades físicas importantes mecanismos de controle

A quantidade de “calorias” que não for queimada, produzindo trabalho biológico, é armazenada na forma de gordura. Então, é importante que se mantenha um nível de atividade física correspondente ao consumo energético, ou vice-versa, para que haja uma manutenção do peso corporal.

Não existem formulas milagrosas para o emagrecimento ou para o ganho de peso corporal. Embora exista uma influência genética forte na constituição da composição corporal, o peso corporal recomendável acaba resultando da combinação de uma dieta saudável e de um estilo de vida fisicamente ativo.

(Aliando os benefícios estéticos e cuidando da alimentação junto com o exercício físico, teremos uma forma física boa).

Lucimara dos Santos- Massoterapeuta e Esteticista do Centro e Saúde e Estética Elegance.

Luto normal x Luto patológico

 

No curso de nossas vidas, todos nós somos levados a enfrentar uma série de perdas significativas e inevitáveis. Perdemos amigos queridos, familiares e pessoas próximas que despertam, com suas mortes, o processo de luto, fase da expressão dos sentimentos decorrentes dessa perda. Apesar de o luto ser universal, o seu significado é multifacetado na experiência de vida humana, uma vez que existem grandes diferenças em relação a como os indivíduos reagem diante das perdas.

O processo de luto envolve, tipicamente, sentimentos de apatia e abatimento, perda de interesse no mundo exterior e diminuição na atividade e iniciativa. Entretanto, no luto considerado bem elaborado, mesmo diante desses sintomas, que não são persistentes, a morte é tomada como algo real e o sujeito enlutado apresenta disponibilidade para novos investimentos em sua vida. Esses novos investimentos sadios sugerem a reorganização da nova rotina, tanto funcional como emocional. Já no luto considerado patológico ocorre a intensificação dos sintomas típicos do luto, ou seja, os sintomas são persistentes, integrando-se a vida do enlutado. Nesse processo, o indivíduo não consegue reorganizar sua vida e construir novos projetos para o futuro.

As crenças do indivíduo, as quais ditam a maneira pela qual ele interpreta os fatos à sua volta, são decisivas para as reações diante da perda. Ou seja, nossas crenças e nossos pensamentos influenciam, em grande parte, a forma como iremos encarar a morte e como iremos reagir diante de um processo de luto.

Dessa forma, o tratamento da pessoa enlutada que não conseguiu elaborar o luto de forma saudável se propõe a ajuda-lo a identificar os pensamentos distorcidos responsáveis pela perpetuação de seu sofrimento diante da perda, além de melhorar a qualidade da relação com outros sobreviventes, estabelecer novos relacionamentos, desenvolver uma nova rotina e dar um novo significado à vida.

CERENTINI, D.; DUARTE, E. R. C. L; PERGHER, G. K. Terapia Cognitivo-Comportamental no Luto. In: WAINER, R.; PICCOLOTO, N. M.; PERGHER, G. K. Novas temáticas em Terapia Cognitiva. Rio Grande do Sul: Sinopsys, 2011.

Jéssica Locatelli- Possui graduação em Psicologia (CRP 12/16682) pela Universidade do Vale do Itajaí – UNIVALI. Pós-graduanda em Psicoterapia Cognitivo-Comportamental pelo COGNITIVO – Centro de Psicoterapia Cognitivo-Comportamental, no Rio Grande do Sul.

Homens se rendem a depilação á laser!

Atualmente, devido ao corre-corre, é muito difícil arrumar tempo para fazer a barba, mesmo que demore apenas alguns minutos. Esse dever diária atormenta muitos homens, que adorariam não mais ser dependentes da lâmina de barbear e sonham em ter a comodidade de acordar todos os dias com a pele  lisa, sem cortes, irritações e sobretudo sem a aspereza dos pelos em crescimento.

Cada vez mais os homens  estão procurando as clínicas em busca da depilação a laser com o objetivo de reduzir e até acabar com os pelos. Com essa grande procura, a área estética vem desenvolvendo tecnologias para atender de forma personalizada aos diferentes públicos, visando sempre garantir a segurança do paciente e proporcionar resultados satisfatórios.

A pele masculina,  é aproximadamente 20% mais espessa que a pele feminina. Contem mais colágeno e tem um aspecto mais compacto e firme. Por isso, um dos aparelhos mais indicados para depilação masculina é o Laser Vectus. Tendo uma longitude de 810 mm,  consegue alcançar uma maior profundidade da pele devido a um aquecimento mais penetrante que atinge o folículo e destrói as células responsáveis pelo crescimento do pelo. É um equipamento de última geração o qual é projetado para remover os pelos indesejados e ainda tratar a foliculite de forma segura.

As regiões mais procuradas para Depilação são: barba, axilas, costas, pernas, peito e barriga. É importante lembrar que é preciso passar por uma avaliação profissional, pois nesta tecnologia o resultado depende da área aplicada, da cor de pele, espessura do pelo e sua coloração. Geralmente nota-se resultados desde a primeira sessão.

Esta foto é antes de iniciar as sessões de depilação á laser. E após trinta dias da primeira sessão.

30069899_10156295956842436_369876836_o

Dra Raquel Vale- Fisioterapeuta Dermato Funcional. Responsável Técnica do Centro de Saúde e Estética Elegance.

 

 

 

Avaliação estética gratuita!

Semanalmente as pessoas nos questionam se realmente existe a necessidade da avaliação antes de realizar algum procedimento estético. Nem sempre o tratamento mais famoso ou aquele que as celebridades postam em suas redes sociais, é o mais indicado.

A  avaliação é o momento onde temos a oportunidade de conhecer bem a história de vida do cliente, incluindo seu dia-a-dia, pois tanto a genética (ramo da biologia que estuda a hereditariedade) quanto a epigenética (ciência que pesquisa a ação do meio e dos hábitos de vida sobre o indivíduo) interferem nas mudanças estéticas e nos resultados dos tratamentos. Também é a hora do cliente sanar suas dúvidas, conhecer melhor o profissional e a clínica onde deseja realizar seu tratamento.

Todos os seres humanos diferem uns dos outros e na estética também funciona assim, cada cliente tem suas características físicas, objetivos e hábitos de vida bem definidos. Sendo assim, a avaliação vai dar embasamento teórico e prático para o profissional traçar o melhor tratamento, respeitando a individualidade e promovendo além de benefícios estéticos também psicológicos e sociais.

A estética é uma ciência, que quando bem conduzida e manipulada, traz resultados surpreendentes! Por isso, na Clínica Elegance a avaliação é gratuita! Para que todos tenham a oportunidade de conhecer nossos profissionais, as tecnologias e nosso ambiente!

Somos uma Clínica Humanizada e nos preocupamos com o bem estar e saúde do nosso cliente!

 

 

 

 

VOCÊ TEM MEDO DE QUÊ?

 

O medo é uma emoção básica importantíssima para a preservação da vida, uma vez que sua função é nos proteger do perigo, pois produz respostas que visam aumentar a probabilidade de sobrevivência numa situação avaliada como perigosa. Essas reações são luta, fuga, congelamento e desfalecimento. Por exemplo, vamos imaginar que nos deparamos com um animal perigoso. Se nosso cérebro interpretar que podemos enfrentar o animal, nosso corpo se organiza para enfrentar ou intimidar o animal. Porém, se o animal parecer muito grande ou perigoso para nossos recursos, a resposta que se organiza é de fuga. Se não houver possibilidade de fuga, uma resposta possível é a de paralisia, de congelamento, como uma estratégia de tentar passar despercebido. Caso o ataque seja avaliado como iminente pode surgir uma resposta de desfalecimento para tentar pacificar o inimigo ou de desmaio para nos proteger de sentir a dor do ataque.
Assim, compreendemos que o medo é uma emoção inerente ao ser humano, com funções evolutivas importantes para a perpetuação da espécie.
Mas… e quando sentimos medo desproporcional e persistente por algo que não representa um perigo real?
A isso chamamos de FOBIA ESPECÍFICA, comumente tida por um ou mais objetos ou situações (p. ex. voar, animais, agulhas, elevadores, fantasias, tempestades). A fobia específica, além de ser desproporcional em relação ao perigo real imposto e provocar uma resposta imediata de medo e ansiedade, também é ativamente evitada ou suportada com intenso sofrimento, e causa prejuízo no funcionamento social, profissional ou em outras áreas importantes da vida do indivíduo. Dentre os sintomas cognitivos, está a preocupação, expectativa apreensiva, dificuldade de raciocínio e pensamentos catastróficos, hipergeneralistas e dicotômicos. Os sintomas comportamentais se caracterizam por fuga e esquiva, além de agitação, hipervigilância e dificuldade para falar. Já os sintomas fisiológicos são tensão muscular, taquicardia, sudorese, sensação de sufocamento, tontura, fraqueza, e boca seca.
O quadro clínico mostra, claramente, uma queda significativa da qualidade de vida. Se você se identificou com os sintomas, busque ajuda. Lembre-se, a grande maioria das coisas que nos causam medo são perigos autocriados que existem quase inteiramente em nossa própria imaginação.

APA. Associação Psiquiátrica Americana. Manual Diagnóstico e estatístico de transtornos mentais – DSM 5. Ed. 5. Washington, Associação Psiquiátrica Americana, 2014.
KNAPP, P. Terapia Cognitivo-Comportamental na Prática Psiquiátrica. São Paulo: Artmed, 2004.
DARWIN, C. The Expression of the Emotions in Man and Animals. Reino Unido: John Murray, 1872.

Jéssica Locatelli- Possui graduação em Psicologia (CRP 12/16682) pela Universidade do Vale do Itajaí – UNIVALI.

Outono: começa a temporada de tecnologias na Clínica Elegance.

O Outono chegou e aos poucos as temperaturas começam a cair. De inverno a inverno, são lançados tratamentos cada vez mais elaborados. Os avanços na estética no que diz respeito a rejuvenescimento, flacidez, rugas, manchas, cosméticos e tecnologias são tantos que fica difícil de acompanhar.  Por isso decidimos escrever este post, para deixar você antenado, sobre todos os novos tratamentos de 2018 aqui na Clínica Elegance. Vamos começar pelo mais procurado, o Laser Acroma.

O ACROMA– Q-Switched aprovado pelo FDA para tratamento do melasma, é um laser especial, pois produz pulsos ultra rápidos (nanosegundos) e de alta intensidade, capazes de destruir o pigmento com o mínimo dano tecidual, sem irritar a pele, evitando os efeitos adversos, como o escurecimento de manchas já existentes.

É uma tecnologia indicada também para o rejuvenescimento não-ablativo e tratamento de lesões pigmentares em todos os tipos de pele, atuando com eficácia e segurança clinicamente comprovados mesmo em fototipos mais elevados, tão comuns no Brasil. Outra indicação é a remoção de tatuagem, que é um procedimento cada dia mais procurado.

O ácido da vez  usado como uma das alternativas no tratamento do melasma é o tranexâmico, inúmeras vezes citado no Congresso de Dermatologia da Academia Americana de 2017. O uso do ácido tranexâmico inibe a plasmina, que está envolvida no estímulo de melanogênese, dessa forma, inibimos estímulos negativos que podem gerar maior produção de melanina. O ácido tranexâmico encontra-se na forma de remédios via oral, em formulações de cosméticos tópicos e injetável. É importante frisar que o ácido tranexâmico, por via oral, é um remédio of-label, que precisa ser receitado pelo médico.

A nova tecnologia deste ano que permite pele mais firme, melhor contorno facial e ainda redução da papada é a  Criofrequência, que aliada a cosméticos de nanotecnologia pode fazer verdadeiro milagre na sua pele. Esta tecnologia interage frio de até menos 10 graus de maneira condutiva e Radiofrequência Multipolar 650 w e Monopolar 400 w, terapias já conhecidas com inúmeros artigos publicados somadas 1.050 watts de potência que causam por conversão um calor de até 60 graus . Pode ser indicada também para rejuvenescimento facial, flacidez, queixo duplo, linhas de expressão, rugas, fibroses pós operatórias e envelhecimento.

A grande aposta para o futuro é o Sculptra, um produto ainda pouco conhecido e utilizado no Brasil. É um dos produtos mais potentes e com mas efeito em estimular a formação e renovação do colágeno da nossa pele, é um tratamento surpreendente contra rugas, flacidez da pele, tanto do rosto e bem como o preenchimento dos sulcos, linhas e rugas. Ele não é um produto apenas para preenchimento facial, faz com que haja aumento na quantidade de colágeno novo na região tratada, com isso traz um rejuvenescimento real para nosso rosto, abdome, braços ou qualquer outra área tratada.

Outra novidade que está ganhando a simpatia de homens e mulheres que desejam dar “Adeus” para a papada. É a aplicação de ácido deoxicólico. Que é uma enzima já presente no nosso corpo, derivada da bilis, com a função de emulsificar e quebrar naturalmente  as células de gordura do organismo que são eliminadas através da corrente sanguínea.

A tecnologia mais esperada este ano foi o Vectus! O melhor aparelho de depilação do mundo! Um dos seus diferenciais é o exclusivo leitor de melanina, SKINTEL, o qual mede com precisão a pigmentação da pele e transmite os parâmetros via bluethooh para o Vectus, assim o profissional pode programar o tratamento com maior segurança. Além disso, é indicado para todas as peles, clara, bronzeada e até pele negra – pois consegue diferenciar com exatidão cada pigmento e realizar a destruição seletiva do pelo. O Vectus é realmente a evolução da depilação a laser!

A Luz Intensa Pulsada é uma tecnologia chamada de não ablativa, ou seja, que não fere a pele. É muito utilizada no tratamento de pacientes com a pele sensível, rosácea, telengiectasia e olheiras. Uma fonte de energia luminosa que gera calor na pele em profundidade, atingindo vários tipos de alvo: a melanina (sardas e melasma), os vasos sanguíneos (pequenos vasinhos da face e do colo), e o colágeno (flacidez e rugas). Pode ser usada em diversos tratamentos estéticos, para rosto e outras regiões do corpo, como mãos e colo.

O Laser de Co2 Penetra profundamente na derme, provocando microlesões. Permite a cicatrização mais rápida da superfície da pele, levando a renovação tecidual e produçãode uma grande quantidade de colágeno. Melhora a textura da pele, reduz os poros dilatados, clareia manchas e olheiras, atenua rugas, estrias e cicatrizes de acne. Pode ser associado a ácido, fator de crescimento e cosméticos clareadores.

Outra novidade é o Laser Erbium, que promove uma fototermólise fracionada, ou seja, geram múltiplos pontos (colunas) extremamente aquecidos na pele, cercados por ilhas de pele intacta (não tratada). Desse modo, a cicatrização ocorre de forma mais rápida e segura. O processo de cicatrização é estimulado para originar um tecido novo e saudável, eliminando as imperfeições.
Sendo,um laser ablativo, pois atua na superfície da pele, epiderme, e parte da derme, removendo o tecido tratado e substituindo-o por células novas (resurfacing). Os resultados são visí­veis logo após a primeira sessão e continuam a melhorar gradualmente no decorrer dos meses seguintes, a depender da agressividade e intensidade do tratamento realizado.

O Preenchimento Facial com ácido hialurônico podem ser injetado na pele, com o objetivo de  melhorar a aparência de pequenas linhas e rugas, aumentar lábios, preencher faces cavadas, melhorar cicatrizes, levantar sulcos profundos e reparar várias imperfeições faciais. O ácido hialurônico é um componente natural da pele. Com o avanço da idade ele diminui e formam-se as rugas. Em cosméticos, sua principal ação é hidratante, melhorando o viço, suavizando rugas e marcas. Na forma injetável, é usado para repor volume no contorno da face, nos lábios, no bigode chinês e nas olheiras.

Está aí, portanto, apresentada a grande tendência que temos no momento para este inverno em relação a tratamentos faciais. Espero que tenham gostado das novidades!

Dra Raquel Vale. Fisioterapeuta Dermato Funcional. Responsável técnica pelo Centro de Saúde e Estética Elegance.

Por que a tristeza existe?

Entre as emoções negativas consideradas saudáveis está a tristeza que, mesmo sendo percebida como desagradável e relacionada a sofrimento e vários outros sentimentos considerados ruins ou indesejáveis, é uma emoção que faz parte de muitas experiências humanas construtivas, ligadas a aprendizados e até mesmo ao atingimento de objetivos evolutivos. Já entre as emoções negativas consideradas não saudáveis está a depressão, a qual não está relacionada a nenhum aprendizado evolutivo útil e, muito pelo contrário, é um sentimento destrutivo, incapacitante e que afasta a pessoa de seus objetivos.

Há três componentes principais na tristeza considerada natural. O primeiro deles sugere que a emoção esteja relacionada a uma situação específica. Já o segundo componente da tristeza é a sua intensidade razoavelmente proporcional à magnitude da situação que a provocou. Por mais difícil que seja mensurar essa intensidade, existem dois fatores importantes que contribuem para. O primeiro é cognitivo: Reações normais à perda implicam em percepções razoavelmente precisas das circunstâncias, ao invés de distorções cognitivas. O segundo fator é o emocional: A reação deve ser de intensidade emotiva e sintomática razoavelmente proporcional à gravidade das circunstâncias. O terceiro e último componente da tristeza é que ela diminui quando o contexto muda para melhor, ou quando o indivíduo se adapta à ele. Algumas situações, como a morte de um ente querido são irreversíveis e a duração da tristeza depois dessas perdas, embora muito variável, diminui com o passar do tempo.

A natureza transitória da maioria das reações de tristeza permite um olhar reflexivo sobre o passado, no qual há a resignação acerca do acontecimento que a causou. Assim, permite que o indivíduo se reoriente, concentrando e reavaliando-se em relação ao que aconteceu em sua vida. Em contrapartida, a depressão, ao invés de ser específica ao contexto e com duração limitada, tende a ser crônica, recorrente e desproporcional as circunstâncias sofridas.

Horwitz, A. V.; Wakefield, J. C. A tristeza perdida. São Paulo: Summus Editorial, 2010.

Maj, M.; Sartorius, N. Transtornos Depressivos. Porto Alegre: Artmed, ed. 2, 2005.

Jéssica Locatelli- Psicóloga- Pós-graduanda em Psicoterapia Cognitivo-Comportamental pelo COGNITIVO – Centro de Psicoterapia Cognitivo-Comportamental, no Rio Grande do Sul.