Luto normal x Luto patológico

 

No curso de nossas vidas, todos nós somos levados a enfrentar uma série de perdas significativas e inevitáveis. Perdemos amigos queridos, familiares e pessoas próximas que despertam, com suas mortes, o processo de luto, fase da expressão dos sentimentos decorrentes dessa perda. Apesar de o luto ser universal, o seu significado é multifacetado na experiência de vida humana, uma vez que existem grandes diferenças em relação a como os indivíduos reagem diante das perdas.

O processo de luto envolve, tipicamente, sentimentos de apatia e abatimento, perda de interesse no mundo exterior e diminuição na atividade e iniciativa. Entretanto, no luto considerado bem elaborado, mesmo diante desses sintomas, que não são persistentes, a morte é tomada como algo real e o sujeito enlutado apresenta disponibilidade para novos investimentos em sua vida. Esses novos investimentos sadios sugerem a reorganização da nova rotina, tanto funcional como emocional. Já no luto considerado patológico ocorre a intensificação dos sintomas típicos do luto, ou seja, os sintomas são persistentes, integrando-se a vida do enlutado. Nesse processo, o indivíduo não consegue reorganizar sua vida e construir novos projetos para o futuro.

As crenças do indivíduo, as quais ditam a maneira pela qual ele interpreta os fatos à sua volta, são decisivas para as reações diante da perda. Ou seja, nossas crenças e nossos pensamentos influenciam, em grande parte, a forma como iremos encarar a morte e como iremos reagir diante de um processo de luto.

Dessa forma, o tratamento da pessoa enlutada que não conseguiu elaborar o luto de forma saudável se propõe a ajuda-lo a identificar os pensamentos distorcidos responsáveis pela perpetuação de seu sofrimento diante da perda, além de melhorar a qualidade da relação com outros sobreviventes, estabelecer novos relacionamentos, desenvolver uma nova rotina e dar um novo significado à vida.

CERENTINI, D.; DUARTE, E. R. C. L; PERGHER, G. K. Terapia Cognitivo-Comportamental no Luto. In: WAINER, R.; PICCOLOTO, N. M.; PERGHER, G. K. Novas temáticas em Terapia Cognitiva. Rio Grande do Sul: Sinopsys, 2011.

Jéssica Locatelli- Possui graduação em Psicologia (CRP 12/16682) pela Universidade do Vale do Itajaí – UNIVALI. Pós-graduanda em Psicoterapia Cognitivo-Comportamental pelo COGNITIVO – Centro de Psicoterapia Cognitivo-Comportamental, no Rio Grande do Sul.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s